Para Acompanhar: Clima Noir na Receita Federal ou O Caso do Sumiço do Processo da Globopar

por jonasscherer


Contas nas Ilhas Virgens, funcionárias da Receita  que somem com processos sem motivos claros, notas explicativas de última hora da Grande Emissora, informantes secretos, trânsito eterno de ações judiciais e uma nova oportunidade para meter a tradução da Teoria do Domínio do Fato nas entranhas intestinais de mais alguém: é o episódio piloto da série noir “O Estranho Sumiço do Processo da Globopar”, ainda em produção.

Espantosamente e até o momento, somente jornalistas independentes, entre eles Miguel do RosárioRodrigo Vianna, e poucos meios de comunicação tradicionais, como o IG,  (onde estás, Record?) falam sobre a condenação de Cristina Maris Meinick Ribeiro, servidora da Receita Federal, por ter extraviado um processo da Globopar no qual a TV Globo é alvo de cobrança de cerca de R$ 600 milhões pela hipótese de sonegação fiscal na compra dos direitos de retransmissão da Copa do Mundo de 2002.

No entanto, o episódio piloto, ao que tudo indica, pode não ser veiculado. Na condição de amante de enlatados midiáticos, começo a acompanhar e divulgar as informações mais recentes sobre o processo de produção dessa nova série. Em breve mais informações – ou não.

Anúncios